ISVOUGA ISVOUGA
ISVOUGA Licenciaturas Bolsas de Estudo Emprego Contactos
Opções Gerais
   
 
  Caixa de Sugestões  
 
  Enews  
 
  Erasmus +  
 
  Bolsa de Emprego Online  
 
 Você está em:  Início  >  Notícias

ISVOUGA lança Observatório de Percursos Escolares e Profissionais (OPEPI)

O ISVOUGA vai implementar, em 2007, um novo projecto designado Observatório de Percursos Escolares e Profissionais dos Diplomados pelo ISVOUGA (OPEPI).
Este projecto, que ficará afecto ao GIAP-Gabinete de Integração e Acompanhamento Profissional, visa proporcionar o conhecimento, em profundidade, das opções escolares dos diplomados, ao nível do ensino secundário, bem como das trajectórias profissionais anteriores, simultâneas e posteriores à frequência do ISVOUGA.
Genericamente, o tratamento de dados objectivos obtidos pela análise de questionários e de outros instrumentos permitirá avaliar a evolução qualitativa e quantitativa do estatuto sócio-económico e cultural dos diplomados no que respeita a indicadores tais como sector de actividade, funções exercidas, períodos de estruturação das carreiras, remunerações, projecção profissional, níveis de empreendedorismo, níveis de receptividade a novos processos de formação, etc., após a conclusão do curso.
Através do presente projecto, perspectiva-se, assim, auscultar o grau de adequação da formação proporcionada pelo ISVOUGA às necessidades do mercado de trabalho, bem como o grau de satisfação dos diplomados, dos empregadores (quando for o caso) e dos respectivos destinatários dos serviços e/ou bens.
Este observatório tem como plataforma científica de base o projecto de investigação encetado em 2003, com o título "A relevância social do ensino superior politécnico em Portugal: ISVOUGA case study", disponível no Instituto, o qual visou organizar uma perspectivação rigorosa do contributo do mesmo para o desenvolvimento sócio-económico ao nível local e individual, designadamente através dos que o escolheram para a realização de um curso de nível superior. As tabelas VII, VIII e IX do respectivo trabalho relativas à:
- "Distribuição dos Diplomados pelo tipo de contrato que usufruíam antes da conclusão do curso e o actual";
- "Distribuição dos Diplomados pelo tipo de funções desempenhadas antes da conclusão do curso e o actual"; e à
- "Distribuição dos Diplomados pelos escalões de vencimento líquido/subsídio auferidos, mensalmente, antes da conclusão do curso e os actuais",
permitem-nos, genericamente, aferir que o retorno relativamente ao investimento realizado em ensino superior é muito positivo. Ao nível de indicadores tais como "grau de concretização das expectativas" e "apreciação da formação relativamente a outras formações", os diplomados e, neste último caso, as empresas inquiridas evidenciam, igualmente, grande satisfação. (Para mais informações poderá consultar o texto completo de A relevância social do ISVOUGA Ajuda na utilização de ficheiros PDF)

Este projecto faz assim jus às concepções que, a partir da dinamização da educação e da formação, promovem o capital humano como valor fundamental das sociedades. O referido paradigma é preconizado por Joaquim Azevedo, entre muitos outros, ao considerar, aliás, o investimento em educação como um investimento bastante compensador. De acordo com este autor, "a um aumento de um ano de escolaridade no nível médio da população, corresponderá um aumento entre 1, 1 a 1,7% nas taxas de actividade e de emprego". Por outro lado, se é certo que, a nível nacional, a transição para o mercado de trabalho, por parte dos jovens licenciados é, em média, mais demorada, está igualmente provado que esse processo ocorre com superiores níveis de qualidade na medida em que o tipo de emprego é mais qualificado, factor a que se encontra inexoravelmente ligado um outro que é o factor remuneração. Além do mais, os níveis de mobilidade profissional configuram uma dimensão completamente distinta, considerando o tipo de competências desenvolvidas e reforçadas no âmbito do nível de ensino em causa.
O OPEPI garantirá, assim, o acompanhamento do nível do output do ISVOUGA, ou seja, o nível de correspondência entre as necessidades e desejos dos seus principais públicos: alunos e empresas, funcionando, pois, como um barómetro a partir do qual se podem introduzir, sempre que necessário, ajustes correctivos passíveis de melhorar os resultados atingidos ou, dito de outro modo, o impacto do Instituto no meio em que intervém.

Publicado em: 08-01-2007


Página gerada em: 2018-11-20 às 19:16:13 © COPYRIGHT ISVOUGA - 2006-2018
helpdesk@isvouga.pt