ISVOUGA ISVOUGA
ISVOUGA Licenciaturas Bolsas de Estudo Emprego Contactos
Opções Gerais
   
 
  Caixa de Sugestões  
 
  Enews  
 
  Erasmus +  
 
  Bolsa de Emprego Online  
 
 Você está em:  Início  >  Notícias

E-LEARNING: Novos Rumos Na Formação

Jornadas & Encontros EDV Digital

A ADReDV através do Projecto EDV Digital, no âmbito do subprojecto Jornadas e Encontros EDV Digital, e em colaboração com o ISVOUGA realizou no passado dia 30 de Março, na Biblioteca Municipal de Vale de Cambra, a apresentação do tema: "E-learning: Novos Rumos na Formação”. Esta sessão contou com a presença de Luís Ferreira, Director-Geral do EDV Digital de António Alberto, Representante da ADReDV - Agência de Desenvolvimento Regional entre Douro e Vouga, José Bastos, Presidente da Câmara Municipal de Vale de Cambra, Luís Amaral do Departamento de Sistemas de Informação da Escola de Engenharia da Universidade do Minho, Nuno Pereira, Vice-Presidente do CEFA - Centro de Estudos e Formação Autárquica, Maria do Rosário Pires, Directora do Centro de Formação da UNAVE - Associação para a Formação Profissional e Investigação da Universidade de Aveiro e Vasco Lopes, docente do ISVOUGA e consultor/formador em sistemas de E-Learning.
Luís Ferreira, inicia a sua intervenção com uma breve apresentação do projecto EDV Digital, caracterizando-o como um projecto promovido pela ADReDV e que integra os 5 concelhos do EDV e o concelho de Sever do Vouga. Apresenta uma introdução ao tema, chamando a atenção para a sua pertinência.
Após a apresentação do projecto "EDV Digital” e do tema eleito para mais uma edição das Jornadas & Encontros EDV Digital, tecida pelo seu Director-Geral, Luís Miguel Ferreira, Luís Amaral no âmbito da comunicação: "Do Ensino em Sala ao E-learning: um balanço” introduz a plataforma de e-learning, promovida pela Universidade do Minho, evidenciando o seu fácil manuseamento e enfatiza, no seu discurso, as seguintes ideias-chave: a de que devemos ser, efectivamente, capazes de utilizar os meios de que dispomos de forma inteligente, todavia consistido o e-learning um instrumento facilitador do ensino/ formação, não poderemos entendê-lo como um substituto integral do sistema presencial.
Segue-se a intervenção de Nuno Pereira que partilha a experiência do CEFA no sistema e-learning, salientando que o "desenvolvimento pessoal e profissional dos funcionários e colaboradores das autarquias portuguesas é uma missão constante, agora reforçada pela utilização de uma nova modalidade de formação: o e-learning". Enfatiza o facto do CEFA estar sensibilizado para a importância das novas tecnologias, de forma que possui já uma plataforma de e-learning, tendo desenvolvido 10 cursos, quase todos eles no campo da informática. Conclui a sua apresentação afirmando que o desafio que se coloca nesta instituição é a implementação de novos cursos e modelos de formação.
Maria do Rosário Pires começa por apresentar a UNAVE, como uma unidade de interface entre a Universidade de Aveiro e a sociedade, cujas competências consistem na Formação Profissional e nos Sistemas de Informação Geográfica. Chama a atenção que a formação à distância deve ser Blended-Learning, ou seja proporcionar uma dinâmica entre formação presencial e formação à distância, salvaguardando o facto de a UNAVE deixar ao critério dos seus públicos escolher o respectivo sistema de formação. Seguidamente, apresenta os Perfis de Formação de e-learning oferecidos pela UNAVE: Programação para a Internet/www e Aplicações de Edição Multimédia. Conclui a sua intervenção, referindo que as perspectivas da UNAVE consistem em chegar a mais (novos e diversificados) públicos.
Por último intervém Vasco Lopes, apresentando a óptica do formador no sistema de ensino e-learning. Começa por definir e-larning como o "conjunto de metodologias e tecnologias que têm como objectivo promover o ensino e a aprendizagem através da utilização da Internet como dispositivo de: mediação entre os intervenientes, acesso a recursos pedagógicos (conteúdos), acesso a mecanismos de avaliação, acesso a funcionalidades de gestão dos processos (gestão)". De seguida introduz o tema propriamente dito: a motivação como factor preponderante no sucesso de iniciativas de ensino à distância. Chama atenção para as componentes que devem ser tidas em conta: "público-alvo, resultados, contexto, organização, infra-estruturas e conteúdos. Neste contexto, chama a atenção para o facto de ser da responsabilidade do formador aperceber-se das diferenças entre os formandos, detectando, assim, as suas necessidades, chamando a atenção para o Modelo Kirkpatrick, modelo de avaliação, de acordo com o qual, num primeiro nível, se pretende perceber se o curso consegue ou não manter o interesse, se os objectivos são ou não relevantes para os formandos; no nível seguinte perceber os resultados da aprendizagem; posteriormente o comportamento na prática, ou seja, transformação do que foi apreendido em conhecimento e competência no posto de trabalho; e num último nível a avaliação do impacto da formação no exercício das funções. Vasco Lopes enfatiza, ainda, que o sistema de e-learning ou blended-learning permite "(...)perpetuar o momento de formação para além do tempo final". Conclui a sua intervenção referindo que "a motivação é um factor importante no âmbito dos ambientes ensino e aprendizagem, por um lado e por outro lado que os conteúdos podem ser decisivos na manutenção da motivação de quem aprende", concluindo que para quem recebe a informação, esta tem de ser, efectivamente, "recepcionada como um valor acrescentado".

Publicado em: 10-04-2006


Página gerada em: 2018-11-20 às 19:56:31 © COPYRIGHT ISVOUGA - 2006-2018
helpdesk@isvouga.pt